terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Não era você
do outro
lado da rua
quando chovia.
Mas era bem
parecida.
Fechei meu guarda-chuva
quis andar desprotegido
deixar que algumas lembranças
fossem levadas
embora.
A chuva me molhou bastante
meu óculos embaçou e
eu quase tropecei.
Percebi que
mesmo com o tempo
fechado para nós,
nuvens feias, raios,
trovões e tudo mais,
sempre quando eu achar
que é você do outro lado
da rua,
[em mim
um Sol
abrirá.]

Nenhum comentário:

Postar um comentário