terça-feira, 17 de janeiro de 2017

como era bom antes
do big bang onde você
não existia nem eu nem
nós e o único vazio que
nos separava era o próprio
vazio do universo.
quando nos dias
que você não me ama
como amava antes
é como se eu estivesse
em uma interminável
fila de banco, num calor
de ipanema mas sem
a brisa gostosa de ipanema.
quando nos dias
que você não me ama
como amava antes
é como se eu estivesse
em uma interminável
fila de banco, esperando
para ver se ainda
temos saldo.
achei que tinha visto você
na entrada da festa mas
não tive certeza
por que não levei meus
óculos para que não 
quebrassem por descuido.
achei que era você então
virei para outro lado,
fingi interesse
na conversa dos guardadores
de carro que me olharam estranho.
depois achei ter te visto
de novo então enfrentei, olhei
bastante, encarei, cerrei os olhos
para enxergar melhor e vi que
estava enganado,
a garota que não era você
me olhou estranho também.
está tudo embaçado
e não sou eu que
estou sem óculos
dessa vez.
amor:
aquele sentimento que
nos faz tirar a roupa
coragem infinita
pular de cabeça
em uma piscina
sem querer saber antes
se ela está cheia de água
ou de concreto.
amor é
para os
fra(n)cos.
e se tiver
Química
a gente faz
História
mas se um não quer
dois não fazem isso é
Matemática
mas se rolar descobrimos a
Geografia
do corpo do outro
fazemos uns exercícios melhores que da
Educação Física
mas isso é muita
Filosofia
para uma foda
vamos falar o bom
Português:
vem cá com a sua língua.
Não seja
cego, surdo e mudo
quando algo
lhe incomodar.
Seja
certeiro, sagaz e
mude.
Tempo
não é medidor de intensidade
você pode se afogar
numa poça d'água
viajar galáxias num abraço
chegar ao Nirvana num beijo
viver uma vida toda nuns
poucos minutos.
Tempo
não é medidor de intensidade
e nós, meu bem,
sabemos disso.
cervejas quentes
pessoas frias
é sempre difícil a questão 
de acertar a temperatura.

Vi a mensagem dela falando que tinha achado um livro que eu a emprestei e queria me devolver.
- Achei esse seu livro, mando pelo correio?
- Não precisa.
- Mas você gostava desse livro.
- Assim como eu também gostava de você. Nada mais justo do que vocês ficarem juntos agora.
Rimos.
E no final um "bom, era isso." fechou o nosso próprio livro de vez.
Nos livramos.
um poema pra dizer 
que estou sentindo tua falta
agora e isso não significa que
eu não sinta antes ora eu
sinto toda hora minuto
segundo mas agora explodiu
e a saudade é assim mesmo quando
vem vem com tudo sem tempo ou
vírgula e até nos faz esquecer do ponto
final
pode começar a decorar em novembro
ou antes para o natal
me manda algo carinhoso no início
me manda algo safado logo depois
me fala dos teus medos
pode me dizer o nome do cachorro
que vem sonhando ter.
o que é bom e sincero
não precisa esperar.
Para onde vão
os futuros imaginados
que nunca viraram
realidade?
planejamos várias 
coisas juntos
desde uma geladeira vermelha
até um cão e um gato
com nomes cults
desde um fim de ano
juntos até um show
semana que vem
para onde vão
todas as coisas
lindas demais
mas que não tiveram
uma chance de acontecer?
Quero ir lá passear.
estrago
foi curto
mas intenso
foi como
um cigarro
mais forte
do que vários
charutos.
comprei um novo
bloco de papel
para escrever
alguns poemas
e você já aparece
nas primeiras
páginas.
engraçado,
achei que já tinha
virado essa página.
felicidade:
pessoas
descomplicadas
para amar
&
ônibus
confortáveis
para dormir.
Que o seu quarto
seja tão bagunçado 
quanto o meu
e que nessa bagunça toda
nos percamos
juntos.
morte
antes de te ver
todas as minhas articulações doem
os músculos fraquejam
a respiração fica asmática
o suor vem em litros
estalo os dedos
roo as unhas
e meu coração dispara.
se não for amor
não se assuste se eu
não responder amanhã.
Leveza
o peso dos outros
só deve pesar no
seu colchão.
não faz bem
carregar sobrepeso
nas molas do coração.
(a)mormaço
esse Sol
que nem parece
que é e vem e te
queima diferente
sem dizer o que é
mas ainda ardente.
tal como os amores
que vêm e te queimam
d'outro jeito
sem dizer para
o que vieram
mas ainda assim
iluminam e queimam
mais que o Sol.
Lá no fundo
a gente sabe que
não vai dar certo
antes mesmo de dar errado
mas continua tentando
se machucando
brincando de esconder.
O problema da gente
é que a gente não gosta
nem da gente mesmo
se destrói sem querer.
Assim como
olhar repetidamente
o relógio
não acelera
o passar
das horas,
olhar tua
foto não
te traz
junto a
mim.
Assim como
as horas,
o querer
também não
é justo.
Engana-se quem
acha que
o inferno
está nas profundezas,
demônios, tridentes,
rabos vermelhos,
chifres pontudos
e tudo mais.
Basta ler
os comentários
embaixo de
uma notícia
que o
cheiro de enxofre
já toma
conta do
ar.
Não diga
as sinaleiras
que está 
atrasado: elas
não jogarão
ao seu
lado.
Ninguém tem culpa
das marcas e mágoas
do amor novo.
Por isso,
deixe os
calçados com a poeira
da rua do lado de fora
e ame sempre com os
pés descalços.
É um querer tamanho,
até que um dia
seremos completos 
estranhos.
Quando deixamos
de sonhar,
aceitamos uma vida
sonolenta.
Gosto de você
e do wifi
da sua casa.

Boas conexões
me ganham fácil.
31 de agosto de 2016
a democracia do Brasil
entrou numa
nova era:
já era.
Se eu pudesse
reescreveria o momento
em que você foi embora.
Seria assim:
veríamos algum
filme cult e depois
transaríamos muito
no sofá da sala mesmo,
entraríamos no box
do banheiro juntos
e a água quente
começaria a cair.
Um ensaboaria o outro
a ponto de se ver mais
espuma do que pele
e acharíamos isso engraçado.
E na hora de lavar
nossos cabelos
o shampoo cairia no meu olho
cegando minha visão.
Nesse momento você
pegaria suas roupas e sairia
sem deixar nenhum vestígio
e quando a cegueira acabasse
eu acharia que você foi
só uma ilusão boa
ou um sonho daqueles
que se reclama
ao acordar.
Então,
tudo acabaria
bem.
Se tivéssemos 
desistido antes
menos palavras
ruins poluiriam
o ar. 
Se tivéssemos
desistido antes
talvez o
antes fosse
mais tragável.
Se tivéssemos
desistido antes
talvez houvesse
uma janela
aberta ainda.
Se tivéssemos
desistido antes
talvez esse
poema não
fosse tão
torturante.
Se o mundo
se partir ao meio
ainda estará tudo bem
se ficarmos do mesmo
lado.
espero
que o café continue quente
depois de um tempo abandonado
na minha mesa
que mesmo com vento de tempestade
a chuva pare daqui a pouco
que não beberei tanto no final de semana
que o cartão passe
que a bateria dure
que a rotina não se demore.
se eu crio expectativas
sobre as coisas mais simples,
não criarei sobre alguém?
faço
o que você quiser
mas caso queira
assaltar um banco
não me deixe na direção
do carro de fuga:
não sei dirigir
nem a minha própria
vida.
cheguei em casa tarde
normalmente alcoolizado
tirei a roupa e me deitei.
dormi de cueca.
lençol, minha pele,
colchão e travesseiro
essa era a combinação
do sanduíche de carne
onde eu me encontrava.
a noite não foi das melhores
por quê eu pensava numa pessoa
que não estava aqui nesse momento
para combinar num
sanduíche de carne duplo.
poetas sempre estão pensando
garçons servindo.
agora eu escuto uns cachorros
uivando.
boa noite, talvez eles falem isso.
Todo caos
quer encontrar 
outro caos
para causar 
de dois.
Mesmo que não
tenha dado certo
a grama continua
a nascer meio ao pouco
espaço na calçada
as nuvens formam
desenhos estranhos
e o som da sirene do carro da
polícia é o mesmo.
Mesmo que não
tenha dado certo
o teclado ainda tem
todas as letras
o leite é branco, o café preto
e o açúcar ainda adoça.
Mesmo que não
tenha dado certo
laranja é laranja
Bukowski ainda é vendido
e nossos nomes
permanecem iguais.
Mesmo que não
tenha dado certo
ainda somos os mesmos
que continuam na busca
de dar certo.
[e quando der certo finalmente
tudo perderá o sentido
as palavras perderão
seus acentos
os pontos finais se aposentarão
e eu não duvido que o céu
mude de cor.]
Resumindo:
o que perde os detalhes
vai sumindo.
O passado mal resolvido
muda de forma tão rapidamente
ora uma rosa
ora só espinhos.
O passado mal resolvido
é uma bomba-relógio
que perdeu a hora.
O amor achou
que sabíamos lê-lo,
veio com todas as suas letras
A-M-O-R
mas nós estávamos acostumados
com os alfabetos de outros corpos,
as línguas se confundiram
e o amor foi embora
rindo da nossa cara.
Cada caso é
um ABC diferente.
Sempre me mata
um Sex on the Beach duplo
e assim segue a vida
me mostrando que 
não vale a pena
carregar mais
de uma coisa de cada vez.
Motivo das coisas
não darem certo:
equilibro melhor
um copo numa
festa cheia
do que meus sentimentos
em um relacionamento.
Traição:
flertar
com o relógio
na companhia
de alguém
Saudade-encosto:
a solução é uma
sessão de desapego.
Não pare na porta"
dei sinal
e fui até a porta
do ônibus para descer
na próxima.
Lá,
fundo branco
letra vermelha
li essa frase.
[Quantas vezes
a gente quer sair
de algo
de alguém
de qualquer coisa
e para na porta
não vai e nem fica.]
A gente perde paradas
ficando parado.
[Desce!]
poemas rimados
quando comecei
(e começo de novo todo dia)
meus poemas eram todos
bem rimados.
rima atrás de rima
"ar", "or", "ir", "im", "iu", "ou"
e tantas outras possibilidades
se encaixavam bem
em qualquer final de frase para rimar.
mas dai
eu fui ficando mais velho
mais chato
mais calejado a cada não
mais fodido a cada esquina
e então eu parei de rimar,
hoje só em doses bem modestas
quando falta conteúdo mesmo.
hoje eu pulo vírgulas
e até alguns pontos finais.
acaba ficando chato e repetitivo
quando na sua cabeça
"dor" é primeira palavra que vem
quando você quer escrever sobre
"amor".
mais fodido a cada esquina, sempre.
Quis escrever um poema
sobre aquele bom beijo
que demos
que embaçou meu óculos
por alguns poucos segundos.
Mas,
[bons beijos
já são
os poemas
mais sinceros
que existem].
Não era você
do outro
lado da rua
quando chovia.
Mas era bem
parecida.
Fechei meu guarda-chuva
quis andar desprotegido
deixar que algumas lembranças
fossem levadas
embora.
A chuva me molhou bastante
meu óculos embaçou e
eu quase tropecei.
Percebi que
mesmo com o tempo
fechado para nós,
nuvens feias, raios,
trovões e tudo mais,
sempre quando eu achar
que é você do outro lado
da rua,
[em mim
um Sol
abrirá.]
Passo o
mouse
em cima da sua foto.
Carinho invisível,
seus cabelos
não balançam.
O que me mata
é essa vontade
de querer matar
um tempo com você
mesmo com tudo já estando
morto entre nós.
Há doçura
e pesar
em ser poeta.
Por algum tempo
eu devo ter sido
o escritor preferido
da minha ex.
Havia um poema meu
colado na parede do quarto dela.
Mas o pesar vem
com o término
e ela também termina com os
seus poemas:
deve haver algum outro poema
colado na parede do quarto dela
agora.
No coração também.
Ame
por um só:
amor se divide
ao meio.
[se passar disso
alguém errou feio.]