quarta-feira, 15 de julho de 2015

Última Lágrima

Tem uma lágrima
escorrendo pelo canto do meu olho.
Uma única lágrima
mas que não me pertence,
ela é tua.


Essa lágrima que me escorre
e que é tua, nos tem, em pedaços
dentro dela.
Ela escorre a muito tempo,
ela até parou no tempo:
não cai e nem volta.
Fica lá, lágrima estática.

Na verdade, eu não deixo que caia.
Essa lágrima não pode cair.
Essa lágrima que me escorre, que é tua,
que nos tem em pedaços
e que eu guardo,
não pode cair.
Se ela cair, eu caio
e nós, caímos pra sempre.

Essa lágrima não vai cair,
não pode.
Pelo meu olho já escorreram
muitas lágrimas, muitas.
Mas só escorreram,
e eu esqueci depois que caíram.

Eu guardo essa lágrima
no canto do meu olho,
eu guardo por que ela não me pertence.
Ela é sua e é nossa,
e sendo nossa não pode ser esquecida.
Eu guardo essa lágrima
para não te esquecer.
Essa pequena lágrima,
é a única gota que me sobrou de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário