quarta-feira, 15 de julho de 2015

Paradoxo

Não falo toda hora o meu nome.
Imagina se alguma letra some
e daí não sou mais eu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário