sexta-feira, 1 de maio de 2015

Plenitude

Ninguém é feliz em plenitude.
A felicidade não é palpável
logo, como se pode SER feliz?
Se está ou não se está,
mas ninguém é o que não se pode ser.
Se pudéssemos todos
lançar as mãos à felicidade,
invejaríamos os depressivos
e sentiríamos saudade dos cinzas.
Se estamos felizes, valorizemos.
Se não estamos, cremos
que tudo em breve melhorará.
A vida se resume em saber onde estamos
e onde queremos chegar.
Se todos fôssemos felizes,
nunca estaríamos felizes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário