terça-feira, 25 de novembro de 2014

Exílio Atrás da Porta

O portão foi fácil.
O cadeado gasto,
Que tanto me preocupa em noites quaisquer,
Abriu numa velocidade espantosa.
O caminho do portão até
A porta de casa
Percorri rápido igual ao
Que é feito numa maratona.
A chave da porta,
Surgiu da mesma forma
Que minha angústia veio à tona.
A chave torceu quase quebrando
E com dores pelo esforço que fiz
Empurrei a porta com a força de um gigante.
Porta aberta
E toda a poeira dos meus móveis
Afastou a maioria dos problemas
Que por mais uma vez,
Ficaram atrás da minha porta
De madeira velha.

Minha barreira de problemas
É uma porta branca desbotada
E uma maçaneta enferrujada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário