segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Rotina

Saí de casa
Achando que havia esquecido alguma coisa
Passei pela porta e conferi o terno
Estava lá
Minha pasta com a rotina
Estava lá
Meu chapéu de fidalgo
Estava lá
Tudo estava mas faltava algo.

Era teu amor.
Nunca o tive de fato
Mas em certas manhãs
Saia de casa achando que te tinhas.
Mas sempre depois de uns trinta passos na rua escura,
Os ventos frios da pós madrugada me acolhiam
E os sons que faziam entre as árvores me diziam
Que teu amor sempre será só teu e que minha esperança será só minha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário