domingo, 3 de agosto de 2014

Ângulo

Te chamo, venha cá
Daremos uma volta no infinito
Repousaremos no lugar mais elevado que há
Só assim veremos a vida pelo jeito mais bonito.

Do
Alto.

Insônia

A noite cai
Como em qualquer outro dia.
O sono não mais me vem, só vai
Tento me lembrar de quando dormir eu conseguia.

Não consigo mais dormir,
Pois de olhos fechados certos pensamentos me causam dor.
Olhos bem abertos focados na parede escura não me deixam mentir:
A cada noite eu espero o fim do martírio com o tocar do despertador.

Chuvisco

Saio de casa e me deparo com um fino chuvisco.
Penso que menos mal, não alagará a cidade.
De repente uma voz do céu fala:
- Haverá mais, foi só um petisco!
E um raio vem anunciar a cruel tempestade.

Recusa

O sol mal nasce e um convite me faz:
- Saia desse quarto, corra atrás dela!
Retruquei com uma ideia mais eficaz
Voltar a dormir com a cortina fechando a janela.

Linha Burra

Te perdi na rua escura
Mas de desencontros já estou cheio
Vai ver o destino nos escreva em linha burra,
Ah, destino, que feio!

Sexta-Feira

Chegou sexta, meu bem
Jogue tudo para cima, esqueça o estudo.
A noite chega logo e a alegria também,
Agora é a hora de colocarmos os problemas no mudo.

Chegou sexta, meu bem.

Ônibus Lotado

No fundo da condução lotada alguém gritava:
- As coisas irão melhorar um dia, tenha fé!
Nesse momento eu só imaginava
As vantagens de se locomover a pé.

Pensamento Livre

Meu pensamento anda tão solto,
Que até parece um passarinho.
Mas nenhuma grade o deixa envolto:
Faço da liberdade o melhor lugar para se fazer ninho.

O Grande Herói

Ele não tinha o dinheiro do Batman, era bem pobre
Não tinha o sopro frio igual ao Superman
Na verdade, sentia muito frio e então sempre estava de porre.
Ele morava na rua, era o herói que achava não salvar ninguém!

Mas de muito ele não sabia,
Não construía coisas com um anel energético.
Mas muito mais ele fazia,
Era gentil com todos que passavam, até saudava com dizer poético:

"Lindo dia, confesso.
De regalo fique com minha alegria!
E leve também meu mais sincero bom dia.
Mas em troca, distribua amor, te peço!"

Morava na rua pois gostava de gente
Ou era a gente que não o gostava muito?
Era um poeta que alegrava o coração mais descontente.
Era um herói sem nada, um herói que distribuía amor gratuito.

O bom dia
De quem não conhecia
Era seu intuito.

Lacuna

Já não vejo mais o caminho,
Nem as pegadas no gelo por onde te deixei.
Menos ainda a cor do teu cabelo vermelho, roxo ou até marinho.
Oh,Clementine! Por quem eu me apaixonei?

O nosso passado
Não merecia o triste fim .
Memórias vividas agora formam um arco-íris apagado.
Oh, Clementine! Por que quisera me esquecer assim?

Para não guardar as lembranças só comigo.
Pergunto se há algum risco de dano cerebral,
E então me submeto a esse experimento, ao perigo.
Oh, Clementine! Como se as não memórias não me fizessem mal.

Mesmo sua memória me fazendo invisível
Eu ainda tento não desmoronar.
Desisto de te esquecer, era impossível.
Oh, Clementine! Por que quis me apagar?

Agora tento te guardar na memória doce
Até nas passagens do meu eu criança.
Pena que foi tarde demais, quem dera não fosse.
Agora só resta torcer para o destino reviver nossa apagada lembrança.

Oh, Clementine...

(A)Dia

O dia havia amanhecido
Como todo outro dia que já se tenha passado.
Tudo estava tão normal, tudo já vivido
Teriam as novidades acabado?

O gosto do café gelado era igual
A três colheres de açúcar não mudaram.
O pó de café que ficava no fundo da xícara, normal.
As esperança daquela manhã se findaram.

Será que mais um dia se passou?