segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Teu nome

Esse teu nome, em minha mente é proferido
Por mais que meu coração se encontre ainda um pouco ferido
Ele, por você está comovido.

Não sei mais o que eu posso fazer, 
Este tal de amor está à me corroer.
Poemas não são o máximo que eu possa escrever
Pois,  pelo o que eu sinto montanhas eu poderei mover.

Talvez ainda não tenhas te dito que esteja te amando.
Acho que esse amor eu esteja mascarando.
Não por medo ou algo desse tipo,
É que eu talvez confunda tudo, às vezes eu me antecipo.

Mas mesmo assim eu estou disposto à lutar, 
Por uma pessoa que eu estou à adorar.
Por isso eu estou tentando te conquistar.

Eu queria também que os meus pensamentos antes de dormir, tu pudesses escutar,
Pois teu nome, minha mente insiste em chamar.



domingo, 18 de setembro de 2011

Inspiração

Algo me falta para escrever bons poemas,
Talvez seja a maldita e falida inspiração.
Ela parece que tirou férias, já não aparece com tanta frequência.
Ou talvez esteja de mau,
Mas não sei o que fiz para ela
Pois nunca a destratei
Nem ao menos a desrespeitei,
Mas agora o que fiz já não sei.
Caso ela não apareça mais,
Meus poemas ficarão como um navio parado em um cais,
Sem sair do lugar eles estarão.
Já que agora, do amor meus poemas não mais sairão.
Enfim,
Se não mais ver a maldita inspiração,
Meus poemas falidos se findarão.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Meus Pensamentos

Você nunca pediu licença para neles entrar,
Nos meus pensamentos insiste em estar.
Não há momentos em que neles não ande
Até acho que minha mente é de certa forma grande.
Mesmo que não aja espaço para pensamentos mais
Chega você, e minha mente expande.
Não que os queira terminar, Jamais!
Mas eles estão a me consumir.
Mesmo não sendo só em momentos cruciais,
Tende a você eles me conduzir.

Meus dias também já não são mais os mesmos.
Depois de um dia sem igual,
Penso em você fora do normal.
Mas isso é de meu gosto.
Tendo minha mente em você,
Eu não paro de me lembrar da beleza do seu rosto.
Pois de você, meu pensamento é composto.

Escrito juntamente com Luana Ribeiro
                        

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Eu Não Me Entendo


Por mais que eu queira fazer tudo ao contrario do convencional,
Algo me diz que desse jeito eu irei estragar.
Talvez tu aches que está tudo certo e nada além do normal,
Mas ainda assim, me atrapalha esse meu lado banal.

Eu queria poder fazer mais, mais do que faço.
Mas essas tuas limitações diminuem meu pequeno espaço,
O mesmo que é parado na barreira do teu abraço.
Mas tudo bem, talvez seja o meu medo do fracasso.